Reparar os iPhones mais caros é para esquecer

As versões standard e Pro do iPhone 14 são completamente diferentes entre si no interior, e o que os especialistas já notaram é que a versão Pro é muito difícil de reparar, algo que já acontecia nas versões anteriores nos modelos mais poderosos. O balanço está na ZDNet.

Quando se olha para o interior do iPhone 14, os especialistas referem que é relativamente fácil de reparar e até elogiam a Apple pela forma como “arrumou” os seus componentes no interior. O painel traseiro agora pode ser facilmente removido, além do ecrã, o que significa que o dispositivo pode ser aberto pela frente e por trás.

Por outro lado, haverá uma grande dificuldade em fazer reparações no iPhone 14 Pro ou Pro Max, porque a sua arquitetura interior mantém os elevados obstáculos registados nos anteriores modelos de smartphones da empresa da maçã.

A primeira dificuldade continua a ser a própria abertura do equipamento. O processo para o abrir terá de ser o mesmo do anterior iPhone 13 e qualquer outro modelo dos últimos cinco anos. Ou seja, todas as inovações e facilidades no modelo standard não se verificam no iPhone 14 Pro.

A reparação da traseira de vidro do iPhone 14 Pro é muito difícil de fazer, e tanto assim é que a própria Apple cobra cerca de 550 euros para arranjar este componente.

Depois de aberto, na versão americana do smartphone encontra-se um espaço vazio, ocupado por um pequeno plástico que, na versão europeia, é onde está o módulo de leitor de cartões SIM. De recordar que o iPhone 14 nos Estados Unidos suporta apenas SIMs virtuais, descartando os cartões físicos.

Futuramente, quem sabe se esse espaço não poderia ser preenchido por um leitor de cartões MicroSD, que poderá ser interessante para os utilizadores expandirem a memória interna para registar os conteúdos de vídeo 8K.

Fonte: ZDNet

Exit mobile version