RCS: O que é e como se compara ao iMessage?

A comunicação começou com os tradicionais SMS e MMS. Muito provavelmente já nem pensamos nestes formatos visto que a maior parte dos tarifários os oferece. O certo é que numa crescente de serviços como Messenger, WhatsApp ou o Telegram, os formatos SMS e MMS começaram a parecer obsoletos nas suas funcionalidades e segurança. A alternativa mais conhecida é a encontrada pela Apple com o seu serviço próprio e fechado, o iMessage. Contudo, no mundo Android, existe também uma solução e, por mais que pareça esquecida, ela é já suportada pelas operadoras portuguesas!

RCS, o que é?

RCS traduz-se para Rich Communication Service e é um protocolo criado em 2007. É um serviço de mensagens avançado e que permite oferecer um conjunto de melhorias significativas na comunicação entre pessoas.

Este serviço não é, então, criado pela Google — como muitos poderiam acreditar —, mas é esta uma grande impulsionadora do protocolo face aos milhões de dispositivos que correm o seu sistema operativo próprio, o Android.

De forma mais básica, o RCS aumenta o limite de caracteres numa mensagem, bem como melhora a qualidade de imagens e vídeos enviados por esta forma. Permite ainda o envio de GIFs, reações, bem como de envios a respeito de localização ou outros ficheiros. Claro que isto é só possível pois o RCS usa uma ligação à internet para enviar este conteúdo e que pode, claro, ser encriptado, sendo logo uma diferença gigantesca ao que encontramos nos serviços passados. Isto permite interações mais seguras e um maior bloqueio a mensagens SPAM. A grande vantagem deste protocolo? De ser integrado em aplicações relacionadas aos contactos para ver os contactos que têm e usam o RCS.

Quem pode usar?

Como já estabelecido, é necessário uma ligação à internet para usar o serviço. E, quer este seja por dados móveis (3G/4G/5G) ou wi-fi, é também necessário que a operadora suporte a funcionalidade. Em Portugal este suporte está presente na Vodafone, NOS, MEO, e nowo.

Aqui acontece uma diferença importante: enquanto que os tarifários oferecem mensagens via SMS e MMS, os envios por RCS serão taxados como dados móveis. Aqui importa perceber o pacote móvel que temos e os dados disponíveis para compreendermos se teremos impactos no que pagamos ao final do mês. No meu caso, e usando este serviço há mais de três anos (a Vodafone foi a primeira operadora portuguesa a suportar), nunca notei nenhum gasto anormal nos dados móveis, não sentindo impacto significativo na utilização da funcionalidade.

É precisa alguma aplicação?

Uma vez que a aplicação de mensagens da Google é a que vem pré-instalada na maioria dos dispositivos Android, não deverás ter de descarregar outra aplicação. A aplicação mensagens da Google suporta este protocolo (incluindo o envio de reações de mensagens), assim como a aplicação de mensagens da Samsung.

Como é esperado a Samsung tem algumas diferenças neste protocolo, onde as reações que estão já presentes nas mensagens da Google não são possíveis de ter na aplicação da Samsung. Em contrapartida, e na aplicação da Google, se eu enviar uma mensagem por Chat e não tiver internet, a aplicação não envia automaticamente por SMS ou MMS. Isto torna-se frustrante para mim, o que me leva a usar a opção da Samsung, já que se ficar sem internet a mensagem é enviada automaticamente com o padrão SMS. É possível até, na aplicação da Samsung, este comportamento.

Isto acaba por ser outra particularidade do serviço, já que se tiverem a função de Chat ativa, mas outro contacto não o tenha, podem enviar na mesma mensagens e o smartphone irá, de forma inteligente, selecionar qual o serviço que usa: RCS ou SMS/MMS.

Este serviço não está, claro, disponível para utilizadores iOS.

Principais funcionalidades

Quais os problemas com este serviço/protocolo?

Fonte: Read Mouse

O facto de este ser um protocolo “aberto” acabou por levar a alguma desfragmentação no serviço. Apesar de se procurar criar um protocolo universal, importa que todas as fabricantes e operadoras o adotem para um sistema mais fiável e completo.

Em Portugal isto já não acontece como antigamente, onde a Vodafone, apesar de disponibilizar o protocolo, este só podia ser usado numa aplicação própria da operadora. Isso mudou nos últimos anos, mas é importante que se tenha em mente que, num futuro, mais desvios podem acontecer. Pessoalmente, e face aos esforços da Google neste perfil universal, não acredito que as fabricantes não suportem este perfil ao criarem aplicações próprias. A prova mais concreta é a aplicação de mensagens da Samsung que, sendo a marca Android que mais vende, é compatível com o perfil universal mesmo não sendo uma aplicação feita pela Google, e comunica facilmente com os restantes protocolos.

O RCS compara-se ao iMessage?

A implementação da funcionalidade RCS nos nossos smartphones consegue ser um bom substituto aos serviços mais populares. Dá ao consumidor os famosos indicadores de entrega, leitura e de escrita, assim como permite a partilha de multimédia. É semelhante ao iMessage? Sim, sem dúvida, mas existem ainda algumas funcionalidades que se tornam difíceis de obter.

Muito disso deve-se a esta desfragmentação do serviço, o que leva a que, apesar da aplicação de mensagens da Google suportar reações às mensagens, a da Samsung não suporta ainda, por exemplo.

No iMessage é ainda possível de se fazer backup para a iCloud e, no Android, isso também se torna possível de selecionar. Dá também para silenciar um contacto (desativar notificações das mensagens daquele contacto), reencaminhar mensagens ou afixar uma mensagem no topo, mas escrever à mão não é possível nem adicionar efeitos especiais ou escolher quem recebe recibos de leitura.

Exit mobile version