Bug no YouTube Music leva Androids a consumirem mais bateria

Na semana passada, a aplicação YouTube Music recebeu uma atualização para o sistema operacional Android, mas depois de instalarem a versão 5.23.50 da app, os utilizadores detetaram um erro que aumenta o consumo de bateria, principalmente nos smartphones da Samsung. Segundo o Tech Crunch o bug em questão deixa o ecrã do dispositivo sempre ligado, enquanto o Youtube Music continua em reprodução nos smartphones Android. Deste modo, o consumo de bateria aumenta de forma considerável. O erro acontece em qualquer local da interface do YouTube Music, seja no ecrã inicial, no ecrã para reproduções de música ou no seu perfil. A plataforma já foi alvo de testes e identificou o bug, após os vários relatos dos utilizadores. Até à data a empresa não comentou oficialmente o problema que permanece sem solução.

Para evitar o consumo exagerado de bateria nos dispositivos Android durante a reprodução de músicas na app Youtube Music, e até que surja uma solução, vai ter de desativar o ecrã manualmente. Como estamos habituados a ter os ecrãs dos telemóveis a desligarem-se sozinhos mesmo durante a reprodução de músicas em apps como o YouTube Music, ou o Spotify, muita gente não percebe que o ecrã ficou ligado e a gastar recursos. Com o tempo, o consumo de bateria aumenta consideravelmente e pode apanhá-lo desprevenido e ficar sem bateria quando mais precisa.

De salientar que este bug na app só acontece em dispositivos Android; quem utiliza o sistema operacional iOS não tem de se preocupar com a situação.

Entretanto, nem tudo são más notícias para o YouTube Music que, nesta mais recente atualização, adicionou uma nova funcionalidade de partilha, para os utilizadores poderem mostrar as suas músicas favoritas, álbuns, e listas de reprodução no Instagram Stories. Desde 2020 que se falava da importância desta funcionalidade. Depois dos utilizadores publicarem a respetiva Story no Instagram, os seus seguidores podem ver a capa do álbum e reproduzi-lo através do YouTube Music.

Fonte: Tech Crunch

Exit mobile version